Entrevista com Pe. José Roberto Rosa, OCS, no 4º Dia da Novena do Jubileu

ueridos fieis, a Pastoral da Comunicação conversou com o Pe. José Roberto Rosa, ocs, ao final da Celebração da Santa Missa. Confira:

  

 

Pascom: Pe. José Roberto, quando o senhor trabalhou aqui na Paróquia Nossa Senhora de Fátima?

Pe. José Roberto: Eu trabalhei em dois anos: ano passado em 2011, quando teve o Aspirantado e há cerca de 5 anos quando trabalhei por 5 meses, mas tive que sair para atuar na formação da Congregação. Porém, desde 1988 venho aqui para participar algumas assembleias, encontros e, como conselheiro, temos que acompanhar a caminhada da paróquia. Essa é uma paróquia muito ativa e dinâmica e, como temos muito tempo atuando aqui, temos um vínculo grande. É uma paróquia desafiadora porque tem gente ativa, que interroga, que propõe e participa. E ela tem um olhar muito afetivo para a Congregação.

 

Pascom: O que mais te marcou no trabalho desenvolvido na Paróquia?

Pe. José Robeto: Levei muitas coisas boas. Uma delas é que aqui é uma paróquia de fé. Um diferencial dessa paróquia é que é um povo que busca bastante os Sacramentos. Não só a Eucaristia, que é o principal, mas também a Confissão. A paróquia também se destaca pela dedicação às pastorais, é um povo intenso, muito trabalhador, com grande vigor. É um desafio para nossa Congregação manter essa dedicação e fazê-la aumentar.

 

Pascom: O que o senhor deseja para os próximos anos para a paróquia?

Pe. José Roberto: Desejo que continue do jeito que está para melhor. Tem que caminhar, prosperar. A Igreja sempre tem projetos, como o projeto do Papa Bento XVI para o Ano da Fé, para refletirmos em torno da fé, da caridade. Se não tivermos fé os trabalhos paroquiais não acontecem. Que seja uma paróquia que saiba acolher seus paroquianos presentes e buscar os paroquianos ausentes, de modo particular aqueles carentes e mais desprovidos de atenção. A paróquia não pode se dar por satisfeita sabendo que tem muitas pessoas que sofrem e precisam de ajuda. Que cresça na fé e caridade, na unidade dos paroquianos, unidade na diversidade. Muitas vezes não sabemos lidar com as diferenças: elas precisam ser colhidas como dons do Espirito, somos membros do Corpo místico de cristo. Que Maria seja a estimuladora. Que a seu exemplo possamos estar atentos à provocação de Deus. Que seja uma paróquia serva como Nossa senhora. Que seja um pedacinho do céu. Tudo isso desejo de coração. Saibam que a paróquia sempre terá minhas orações e bençãos.

 

Agradecemos com muito carinho, todo o trabalho desenvolvido pelo senhor, Pe. José Roberto, em nossa comunidade.

Que Nossa Senhora de Fátima sempre interceda por ti, pela tua vocação, para que sejas um santo sacerdote.

Nós da Pascom agradecemos a entrevista e estamos sempre aqui à disposição e muito felizes também pela tua presença em nossa paróquia.

 

Acompanhe, abaixo, um trecho da homilia do Pe. José Roberto Rosa, OCS, na Celebração do 4º Dia da Novena do Jubileu de Ouro da Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

 

Tema: “Índole escatológica da Igreja Peregrina e sua União com a Igreja Celeste”.

 

"Esse é um tema muito vasto. Não tem como falar de mistério se não temos fé. Não entendemos o mistério de Deus com a nossa razão. No Evangelho de hoje, o maior milagre é a fé. Ela é dom de Deus e só através dela conseguimos desenvolver muitas coisas. O desenvolvimento da fé precisa da catequese, da Evangelização e, portanto, de pessoas que se dediquem a isso.

O Papa João XXIII percebeu que a Igreja precisava se lançar em novos projetos, se adequar à nova realidade e abriu o Concílio Vaticano II na busca de uma Igreja que vai ao encontro do outro.

A Igreja é Una com os que morreram e conquistaram a glória do céu. Também é una com os que morreram e ainda não conquistaram a glória e estão no purgatório. Ao contemplarmos a Deus, Ele nos dará a consciência se devemos ir ao céu ou se devemos antes nos purificar no purgatório. Nossa união com os irmãos que estão no céu e no purgatório forma uma única Igreja, embbora se encontre em 3 dimensões. E, nos tempos finais, todos participaremos da visão beatífica de Deus.

Aquilo que é bom para nós, queremos comunicar ao outro. Por isso, temos a missão de comunicar o Reino dos Céus com alegria. Essa é a missão que recebemos no Batismo. A Igreja deve ser expressão do Reino de Deus, de alegria e devemos nos unir como filhos e filhas de Deus.

Nossa paróquia tem vivido a união? Acolhemos Cristo nos mais necessitados? Padres, pastorais e movimentos estão preocupados com a Igreja carente que está lá fora?

Celebrar 50 anos de paróquia é tempo também para repensar, conforme o Papa João XXIII e Paulo VI: 'Será que a PNSF precisa sofrer modificações pastorais, se rever em pontos para se adequar melhor à nova realidade? É tempo de agradecer e louvar, mas também pedir perdão por tudo o que não fizemos. É tempo de reprojetar, lançar passos mais firmes. Precisamos buscar outros peixes para Cristo, aqueles que estão longe da Igreja.

Que Nossa Senhora nos ajude e oriente, quando nos encontrarmos em conflito e dúvida, recorramos a ela e ela nos conduzirá a seu Filho. Assim teremos a graça de estar com Ele."

 

No 4º Dia da Novena, foi apresentado um vídeo sobre a atuação da Pastoral Familiar em nossa paróquia. Assista ao vídeo, clicando aqui.

 

Clique aqui para conferir as fotos do 4º Dia.

 

Por Pastoral da Comunicação PNSF


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Calendário Paroquial 2017

Homilia

Como foste fiel na administração de tão pouco, vem participar de minha alegria.
Evangelho - Mt 25,14-30 - 19/11/2017 - Pe. Durvano Ap. Dourado Porto - pároco

Ouça essa e outras homilias, clique aqui.

Sorteio Ação entre Amigos